O Programa A Viagem do Prisioneiro é um estudo bíblico ecumênico de valorização humana que por meio do Evangelho de Marcos, apresenta Jesus Cristo, em 8 sessões de duas horas cada, com 3 simples e importantes questões para a vida cristã: 

  • Quem é Jesus? 
  • Por que Ele veio? 
  • O que significa segui-lo?

Ademais do esclarecimento aparentemente teórico e básico acerca do Cristianismo, o Curso de forma dinâmica e totalmente participativa, em grupos de até 12 participantes, liderados por 2 facilitadores, objetiva a valorização do ser humano, promoção da autoestima e a reflexão de valores cristãos, estimulando os participantes a se tornarem verdadeiros e fiéis seguidores de Cristo, colocando todo o aprendizado desde já em prática.

O Programa conta ainda com um vídeo promocional (abaixo), que convidam os participantes a se embarcarem nesta Viagem, bem como, 16 episódios distribuídos em 8 encontros, que contam histórias reais de pessoas que encontraram a Jesus Cristo atrás das grades em prisões ao redor do mundo.

 

O Programa é baseado nos conhecimentos do curso Conhecendo o Cristianismo, executado pela primeira vez há 20 anos, na Igreja All Souls Church, em Londes, Inglaterra. O objetivo era deixar o evangelho dizer o evangelho, sem qualquer doutrina, àquelas pessoas livres que queriam saber quem era Jesus Cristo.

Devido aos excelentes resultados e expansão do trabalho a mais de 80 países, a Prison Fellowship International – PFI, associação global com filiados em mais de 125 países, 50 mil voluntários, maior Ministério de justiça criminal no mundo e órgão consultivo da ONU para questões penitenciárias, pensou: por que não levar este Curso também para as prisões?

Deste modo, foi então redesenhado o curso para o sistema prisional, e desde 2013, a Prison Fellowship International o tem expandido a diversos países, como África do Sul, Chile, Colômbia, Espanha, Honduras, Portugal, Uruguai, entre outros, a fim de alcançar a meta mundial de apresentar Jesus Cristo a 1 milhão de prisioneiros ao redor do mundo.

Desde o ano de 2015 o Programa é administrado e operado pela Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados – FBAC, entidade que também é responsável por congregar, orientar e fiscalizar as Associações de Proteção e Assistência aos Condenados – APACs. 

Inicialmente quando foi assinada a parceria da PFI com a FBAC em novembro de 2014, o enfoque era totalmente nos recuperandos (prisioneiros) das APACs. Não se vislumbrava a possibilidade de expansão às unidades prisionais, uma vez que a FBAC não realizava qualquer trabalho com o sistema prisional comum até aquele momento.

Contudo, devido aos excelentes resultados com os recuperandos das APACs, e em parceria com a Superintendência de Atendimento ao Preso – SAPE, do governo de Minas Gerais, sob a coordenação da Dra. Louise Bernardes, hoje Superintendente da SAIPL, iniciou-se em abril de 2016 um movimento de expansão às unidades prisionais do estado de Minas Gerais.

Atualmente o Programa conta com mais de 340 facilitadores voluntários em 44 APACs e 13 Unidades Prisionais, espalhadas pelos estados do Maranhão, Paraná e principalmente em Minas Gerais, tendo alcançando até o momento mais de 2700 pessoas privadas de liberdade.

O Programa conta ainda com parceiros, como a Subsecretaria de Humanização do Atendimento do governo de Minas Gerais, bem como, a Sociedade Bíblica do Brasil, regional de Minas Gerais e Bahia, a qual doa uma bíblia sagrada a cada uma das pessoas privadas de liberdade que concluem o curso, objetivando proporcionar a continuidade do estudo bíblico.

Os interessados devem entrar em contato com a Coordenadora Nacional do Programa A Viagem do Prisioneiro, na aba de contato abaixo, a fim de verificar locais e datas para participar do treinamento, sem qualquer custo, sendo ao final capacitado para liderar grupos de até 12 pessoas privadas de liberdade.

Ressalta-se que para o êxito do curso, é importante que o interessado tenha o seguinte perfil:

a) ser cristão e seguidor de Cristo;

b) saiba trabalhar ecumenicamente, uma vez que o curso não tem doutrina.

c) ser mediador. Não se pode dominar a discussão ou ficar pregando ao grupo sem dar oportunidade aos outros para compartilhar sua opinião. Pelo contrário, deve-se promover a discussão por todos os membros do grupo e guiá-los pelo caminho do consenso.

d) ter foco. Isto é, não é uma pessoa facilmente desviada do material do Programa por perguntas dos participantes que não tem relação com o foco do Programa ou mesmo sobre o Evangelho de Marcos;

e) Facilidade e interesse pela leitura. Após o treinamento, o facilitador receberá um grande material complementar para leitura e preparação para realização das sessões práticas.

f) Disponibilidade. Pois pelo menos uma vez por semana deve ser realizada uma sessão do Programa.

Para a realização deste trabalho, o Programa A Viagem do Prisioneiro conta com a parceria de:

Sociedade Bíblica do Brasil/BH
Graças a esta parceria, o Programa, por meio da Sociedade Bíblica do Brasil, regional de Minas Gerais e Bahia, presenteia a cada um dos prisioneiros (as) formados, uma bíblia sagrada, de modo que após as 8 sessões, o participante pode continuar sua viagem para descobrir ainda mais sobre este companheiro de prisão, Jesus Cristo, e deste modo, proporcionar ensinamentos cristãos que poderão lhe auxiliar para uma mudança positiva de vida.

Subsecretaria de Humanização do Atendimento – SEAP/MG
A Subsecretaria de Humanização do Atendimento, departamento da Secretaria de Estado de Administração Prisional do estado de Minas Gerais apoia e incentiva a expansão do Programa em todo o estado, inclusive auxiliando junto às demais unidades prisionais para a implantação do Programa.

Para mais informações, entre em contato com a Coordenadora Nacional do Programa A Viagem do Prisioneiro, Adilza Mendes Paraízo, através de:
          • (37) 3242-4225
          • (37) 99109-7984 (vivo e whats app)
E-mail: viagemdoprisioneiro@ fbac.com.br

Clique na imagem para acompanhar as atividades.

Existem hoje mais de 22 mil prisões e mais 10 milhões de presos ao redor do mundo. Muitos destes homens e mulheres nunca ouviram a palavra de Deus ou experimentaram o poder transformador do amor de Deus, tornando-os um dos grupos de pessoas menos alcançadas no mundo.

Uma associação global de mais de 125 ministérios nacionais afiliados, a Prison Fellowship International (PFI) é o maior e mais extenso ministério de justiça criminal do mundo. É reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como uma liderança especialista em assuntos relativos a prisões, com mais de 50.000 voluntários.

E agora, a Prison Fellowship International tem como parceiro o Ministério Investigando o Cristianismo na sua campanha global para apresentar a 1 milhão de presos a pessoa de Jesus Cristo até o ano de 2020.

Traduzido para mais de 20 idiomas e modificado para uso na prisão, o curso incentiva os participantes a embarcar em uma jornada com Jesus Cristo, enfatizando que ele também experimentou muito do que sentem agora, incluindo o medo, a solidão, a alienação e o abandono.

O curso já tem sido experimentado com êxito em diversos países, como Nigéria, África do Sul e Nova Zelândia.
Recentemente, o Brasil e outros 3 países latino americanos foram selecionados para implantarem o projeto piloto.

A FBAC, como filiada à PFI, implantará o projeto nas 46 unidades em funcionamento, com 3.000 recuperandos .Em três anos, mais de 10.000 recuperandos terão completado o programa, muitos se tornando facilitadores do curso para outros recuperandos.

Como ainda não contamos com um programa de espiritualidade plenamente ecumênico e estruturado, acreditamos que será muito útil para as APACs no processo de construção do relacionamento dos recuperandos com Deus.