Quem nunca participou de uma vaquinha, seja para ajudar algum amigo ou mesmo alguma rifa de igreja? Todas essas são formas simples de financiamento, que já fazem parte de nossas vidas. A princípio, quando se ouve falar em financiamento coletivo, pode gerar a dúvida: do que se trata? Mas o conceito é simples e bem similar a estas formas de financiamento que já fazem parte do nosso cotidiano. 

O uso do termo pode ser atribuído a qualquer forma de rateio coletivo, mas em geral, ele é atribuído a ações de financiamento via plataformas on-line; hoje existem diversas plataformas disponíveis.

E como funcionam essas plataformas? Basicamente é um site que oferece um espaço para anunciar a campanha e um sistema para a transferência de doação, que pode ser feita por boleto, cartão, PIX e similares. E o que a plataforma ganha com isso? Usualmente elas cobram uma porcentagem sobre as doações.

Para não ficar dúvida e entendermos de uma vez por todas como funciona o financiamento coletivo, vamos ver um exemplo. Imagine que você seja um ilustrador que tem o sonho de criar uma história em quadrinhos, mas mora no interior do Brasil onde não existe mercado para esse tipo de trabalho. Com o advento da internet, pode ser que você tenha aprendido muito e até seja tecnicamente competente para produzir um quadrinho, mas ainda assim, o processo de impressão é muito dispendioso. Na melhor das hipóteses, você teria que juntar o dinheiro para custear esse projeto, o que levaria tempo e muito investimento de sua parte. Agora imagine se você pudesse compartilhar esse sonho com várias pessoas e que elas acreditassem e gostariam de contribuir com seu sonho, aqui entra a plataforma de financiamento coletivo, um lugar onde pessoas ou instituições compartilham esses objetivos enquanto outras, se interessam em ajudar, mesmo que seja com uma pequena quantia.

Inspirada por esse modelo de negócios e com o objetivo de ajudar as APACs a realizar seus mais variados projetos, a FBAC desenvolveu uma plataforma própria, com o propósito de divulgar campanhas de financiamento coletivo exclusivamente para as APACs.

As APACs têm grande parte de suas despesas financiadas pelos cofres públicos, ainda assim, muitas são as despesas não cobertas por esses recursos. Por essa razão, a fim que as APACs consigam outra forma de financiamento e ser menos dependente do poder público, nós estamos lançando esta plataforma on-line.” ressalta Valdeci Ferreira, Diretor-geral da FBAC.

A plataforma foi lançada no dia 20 de outubro, com o projeto piloto da APAC de Inhapim/MG. A meta é conseguir R$12.500 mil para a reforma e pintura da unidade que ficou bem avariada após as chuvas de janeiro. Não existe valor estipulado para as doações, você pode ajudar com qualquer quantia. 20% das doações serão direcionados para a FBAC, no desenvolvimento de seus projetos e custeio com a infraestrutura.

Além da estrutura oferecida pela plataforma, as APACs  receberão consultorias na elaboração dos projetos e divulgação das campanhas, tudo desenvolvido pela FBAC.


“Se não fosse a perspectiva dessa ajuda do financiamento coletivo nós teríamos que recorrer ao poder público ou à comunidade para nos ajudar e devido às restrições por causa da pandemia, qualquer mobilização ou evento para levantar fundos fica muito difícil de se realizar.”. Explica Giovana Beatriz Ferreira Bonfim Andrade, presidente da APAC de Inhapim.

 

O projeto de Inhapim é apenas o primeiro, a ideia é que a plataforma seja utilizada para financiar os projetos de baixo custo de várias APACs.

Ficou interessado em ajudar? Visite a página da campanha de Inhapim e faça sua doação: fbac.org.br/contribua

Categories:

Comments are closed