Quem somos

Em 11 de setembro de 2019, foi inaugurado o Centro Internacional de Estudos do Método APAC (CIEMA), uma extensão da FBAC, que surgiu com diversos objetivos, destacando-se a capacitação, o acompanhamento e o assessoramento de colaboradores das APACs, estudantes, pesquisadores e a sociedade em geral que busca aprender ou aprofundar seus conhecimentos acerca da metodologia apaqueana, maximizando as possibilidades de divulgação, fortalecimento e expansão das Associações de Proteção e Assistência aos Condenados (APACs) para todo o mundo.

Localizado ao lado da sede administrativa da FBAC, na cidade de Itaúna/MG, o Centro possui uma estrutura física composta por estúdio para gravação de vídeoaulas e lives; biblioteca com os principais livros e materiais do Método APAC para estudo e pesquisa, ademais de cinco quartos com banheiro privativo para acomodação de até 15 visitantes, assim como sala de estar e cozinha compartilhada.

No âmbito virtual, são apresentadas as perguntas mais frequentes sobre a metodologia; o histórico e material audiovisual das APACs em funcionamento; publicações acadêmicas de diversas áreas relacionadas ao universo apaqueano; programas de intercâmbio para voluntários ou estagiários; além de cursos de capacitação para funcionários das APACs e, em breve, para estudantes e pesquisadores.

O CIEMA trabalha ainda para estabelecer relações com universidades e organizações educacionais de todo o mundo a fim de facilitar o intercâmbio de conhecimento e de estudantes.

Por fim, salienta-se que o Centro leva o nome do saudoso Desembargador Joaquim Alves de Andrade, um dos pioneiros do Tribunal de Justiça de Minas Gerais que acreditou profundamente na pessoa privada de liberdade e percebeu que a APAC era um caminho de recuperação que poderia ser oferecido àqueles que desejassem uma possibilidade de mudança de vida. Dessa forma, não mediu esforços ao viajar por todo o estado de Minas Gerais implantando novas unidades, fortalecendo outras, participando de audiências públicas e eventos das APACs, sempre estimulando o fortalecimento do movimento apaqueano.