O grupo Encantador de Historias da APAC de Itaúna fez uma bela apresentação no último sábado dia 19, para voluntários da APAC de Manhumirim.

A Presidente da APAC de Manhumirim, Renata Elisa, convidou o grupo para se apresentar com o intuito de reafirmar o trabalho inovador do Método APAC, e mostrar à sociedade local a necessidade de se ter uma APAC em sua comarca.
Manhumirim já possui a APAC juridicamente organizada e já possui terreno para a construção do Centro de Reintegração Social e com isso por em prática toda a metodologia.

Dezenas de voluntários e pessoas da comunidade ficaram encantadas com a apresentação do grupo que narrou diversas histórias misturadas com músicas, que fizeram daquela noite um momento de bastante alegria e emoção.
Entre as histórias contadas por recuperandos e ex-recuperandos da APAC de Itaúna, um momento forte foi o testemunho de vida do recuperando Flávio Vilela, que contou à platéia como foi sua vida nas drogas e no crime, o sofrimento da família, a dor na sociedade e a perda de tantos anos de sua adolescência e parte de sua juventude.  Mostrou a diferença do sistema comum com o trabalho da APAC. Como que Deus tem operado em sua vida, mudando não só sua conduta como principalmente sua mentalidade através das oportunidades que a APAC vem lhe concedendo nesses 03 anos em que se encontra cumprindo pena no regime fechado da entidade. Foi mostrada a todos, a realidade dos presídios do Brasil e da própria comarca de Manhumirim, que estão abarrotados de jovens como o Flávio, jovens que tiveram suas vidas tomadas pelo mundo das drogas e do crime, mas que merecem uma nova chance pra sair desse mundo cruel e voltar à sociedade livre no corpo e na alma e com forças para caminhar e voltar a ser um cidadão do bem. Foi um momento de lágrimas em todos os presentes e emoção.

 

História de cantora sertaneja é contada pelo grupo

Nem só de lágrimas foram recebidas as histórias. Além de contos diversos e bem narrados, houve momento de muita alegria em forma de música. O ex-recuperandoRoberta Miranda e Rosana Mont'Alverne Wellington Silva, hoje funcionário da FBAC e Coordenador local do grupo Encantadores de Histórias, trouxe à platéia de Manhumirim, uma história de superação e determinação: “A Coragem de Querer” que narra a trajetória da vida da pequena Maria, filha caçula de nordestinos, que vieram para São Paulo tentar a sorte e em meio a tantas dificuldades, pobreza e até fome, a família conseguiu formar 03 professores e a pequena Maria, que desde seus primeiros anos de vida já cantarolava, decidiu ir contra todos e peitou a família e decidiu ser artista. Na fase adulta, teve que driblar os preconceitos e durante 14 anos trabalhou como crooner nas noites paulistanas até que em meados dos anos 80, venceu tabus e viu sua porta se abrir através de suas composições e sua voz e se tornou o maior fenômeno de vendas de discos no Brasil e recebeu o título de Rainha da Música Sertaneja, título este, que Roberta Miranda, a pequena Maria que ousou sonhar, carrega há mais de 25 anos. Roberta é exemplo de garra para todas as mulheres brasileiras e de superação aos nossos recuperandos das APACs, que tentam seguir o conselho da cantora: “Todos nós nascemos com todos os requisitos para sermos vencedores, só precisamos tomar conhecimento do valor que representa a coragem de querer…”

O Grupo Encantadores de Histórias é formado por recuperandos da APAC de Itaúna e existe há mais de 07 anos. Já se apresentou cerca de 80 vezes em diversos eventos locais, estaduais e até interestaduais. O grupo foi criado pela Dra.Rosana Mont’Alverne, contadora de histórias profissional e servidora do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Rosana hoje dirige o grupo e coordena oficinas de contos dentro da APAC junto com Wellington.

Visite o site www.aletria.com.br e saiba mais do mundo das histórias e do trabalho do Grupo Encantadores de Histórias.

Sigam no Twitter: @WellItauna @RobertaMiranda1 @rosanamont

Categories:

Comments are closed